Poucos livros foram traduzidos em todo o mundo como o “Il Gattopardo” de Giuseppe Tomasi di Lampedusa. Basta abrir a primeira página do romance para ser atingido pelo aroma único da Sicília, ilha que os Gregos amaram mais de suas terras, que Ulysses circunavegou com sua frota, a partir de cujas águas nasceu Vênus, e se refletem os vulcões Etna e Stromboli explodindo lapilli e lava. A terra dos limões e citrinos, do atum e do peixe-espada, a terra das salinas com a sua cegueira branca e as igrejas escuras iluminadas por bonitos mosaicos e velas. Uma ilha rodeada de ilhas, parte da Itália, mas tão diferente de outras regiões. Uma ilha de homens orgulhosos e luzes fortes, de pastores e de navegantes, o último bastião do Mediterrâneo e a porta para a Europa. A terra onde Garibaldi desembarcou para libertar a Itália, onde soldados aliados desembarcaram para libertar a Europa.